Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Pare e pense

ELE ME FAZ REPOUSAR EM PASTOS VERDEJANTES!

Salmos-23:1 a 6
Introdução
Um dos fatos mais estranhos com relação aos carneiros é que, por sua própria constituição, é lhes quase impossível deitar-se, a menos que se satisfaçam quatro condições:
Devido à sua timidez, eles se recusam a deitar-se a não ser que estejam plenamente tranqüilos e sem temores.
Não se deitam se houver atritos com outras ovelhas.
Não se deitam se as tiverem sendo importunadas por moscas ou parasitas etc.
Não se deitam se estiverem com fome.
I.- SEGURANÇA
Somente se deitarão, se estiverem em plena segurança; sem temores, sem tensões e sem fome.
O bem-estar das ovelhas depende da diligência do criador. Esse é um quadro que somente o pastor pode proporcionar-lhes.
O Pastor proporciona as condições adequadas para que as ovelhas se deitem. Um rebanho inquieto não dá bons lucros. Sabe-se que os carneiros são animais medrosos e que se assustam facilmente, pois até um coelho que salta de repente provoca dispersão no rebanho.
A ovelha assustada: Quando uma ovelha assustada dispara a correr, dezenas de outras saltarão com ela, e grande será a ruína para todo o rebanho. Conta-se de um pequeno cachorrinho, com um simples latido colocou todo o rebanho a correr; como também de dois cães que em uma noite mataram 292 ovelhas. As ovelhas assustadas perdem as suas crias.

Nada tranqüiliza mais uma ovelha do que a presença do Pastor no campo, junto a ela. (Jo 10.11).
Ele me faz repousar em pastos verdejantes.
Nada há, na vida cristã, como a presença de Cristo, nosso Pastor bem pertinho de cada um de nós.
Sua presença tira o medo, o pânico e o temor do desconhecido. Se sentirmos que há inimigos ameaçando nossa tranqüilidade, muitas vezes, nosso impulso é simplesmente fugir. Então, em meio às desventuras, subitamente, nos sobrevêm a consciência de que Ele, o Cristo , o Bom-Pastor, está ali. Essa certeza, muda tudo. “…E eis que estou convosco todos, até à consumação dos séculos”(Mt 28.20).
Sua presença lança uma luz diferente sobre a situação. De repente, as coisas não aparecem tão sombrias, tão aterrorizantes; modifica-se tudo, volta-nos a calma, e já podemos repousar. Nessa certeza, podemos descansar…
II.- TENSÃO (Rivalidade e disputa dentro de rebanho)
A segunda fonte de temores da qual o ovelheiro tem que livrar o rebanho é o da tensão, rivalidade e disputa dentro do próprio rebanho.
Em todas as sociedades de animais existe uma ordem de “dominação” no seio do grupo. Em um galinheiro, isto é chamado de “a ordem da bicada”. No meio do gado bovino, é a “ordem da chifrada”, entre os ovinos, falamos em “ordem da marrada”.
Em geral, uma ovelha mais velha, arrogante, ardilosa e dominadora se arvorará em líder de qualquer grupo de carneiros. Ela mantém sua posição de prestígio, com marradas expulsando as outras fêmeas e cordeiros.
Por causa dessa rivalidade, tensão e competição pela melhor posição e auto-afirmação é que existe esse conflito no rebanho.
A Ovelha velha e suas manias:
Espanta as mais novas: Esse conflito dentro do rebanho pode constituir-se em um fato debilitante. Os animais se tornam nervosos e tensos, insatisfeitos e inquietos. Emagrecem e ficam irritáveis.
A presença do pastor é suficiente para que a rivalidade seja esquecida e o rebanho seja tranqüilizado.
A presença do Pastor causa enorme diferença no comportamento do rebanho. Hoje, nas firmas, escritórios, famílias e igrejas, existe essa luta pela auto-afirmação, e auto-reconhecimento. A maioria dessas pessoas lutam para ser a “ovelha chefe”. Damos marradas, brigamos e competimos para “passar à frente” e, assim, algumas pessoas são feridas. É nessa conjuntura que surge a inveja e onde a mesquinhez e desavenças se transformam em terrível ódio. É aí, que são gerados o mal e o desespero, o lugar onde a rivalidade acirrada cresce gradualmente até tornar-se um modo de vida. Onde o homem tem que estar sempre defendendo a si mesmo, seus direitos ou sua posição do resto do grupo.
Em contraste a isto, o salmo mostra o povo de Deus repousando “calmo e satisfeito” .Uma das mais notáveis marcas do cristão devia ser uma sensação de tranqüilidade e contentamento.
A presença do Pastor põe fim a toda rivalidade. Em nosso relacionamento humano, quando nos tornamos plenamente conscientes de estarmos na presença de Cristo, acabam nossas tolas e egoístas rivalidades e o nosso próprio orgulho. Estar perto Dele é estar livre de temores em relação a outros homens.
A ausência de temor de parasitas e insetos também é essencial ao bem-estar das ovelhas. No verão, principalmente, as ovelhas são afligidas por carrapatos e moscas de toda espécie . Quando se sentem atormentadas pelos insetos, é virtualmente impossível para elas aquietarem-se e se deitarem. Ficam em pé, sempre querendo correr para o mato em busca de alívio. Somente o cuidado diligente do pastor, poderá lhes dar segurança. Um bom pastor aplica vários tipos de repelentes. Diariamente, o pastor está no meio do rebanho com o objetivo máximo de mantê–lo calmo, satisfeito e em paz.
Igualmente, na vida cristã, haverá, fatalmente muitos fatores de irritação. Existem pequenas perturbações, frustrações e experiências desagradáveis … ,mas existe um antídoto para elas: CRISTO . Ele traz tranqüilidade, serenidade, força e calma…

III TEMOR DA FOME:
Finalmente, para que as ovelhas repousem, é preciso que não haja o temor da fome. Isto está implícito na declaração: “Ele me faz repousar em pastos verdejantes…”.
Pastos verdejantes significa que o pastor deve trabalhar, para cuidar deste pasto.
É essencial que se tenham pastos verdejantes…
Uma ovelha desnutrida é uma ovelha inquieta, sempre procurando grama para satisfazer sua fome. Não cresce, não tem valor nem para si mesma, nem para o seu dono.

CONCLUSÃO:
Nosso Pastor limpa nossa vida das pedras duras da incredulidade. Arranca as raízes de amargura e quebra o duro e orgulhoso coração.
Depois:
Semeia os grãos de sua preciosa palavra, Rega com o orvalho e a chuva de sua própria presença e do Espírito Santo.
Sua preocupação pelo meu bem-estar, acha-se acima de minha compreensão. Esta vida de vitórias tranqüilas, de feliz descanso, de repouso em sua presença, de confiança em sua direção é algo que poucos cristãos gozam plenamente.
Às vezes preferimos nos alimentar das terras estéreis deste mundo que nos cerca, mas o pastor providenciou pastos verdejantes para aqueles que desejam mudar-se para eles e, ali, encontrar paz e plenitude.
Deitar-me faz: Porque o Pastor está presente e perto de mim, posso deitar-me, em paz, livre de todo medo.
O Espírito Santo como meu consolador, conselheiro e orientador, comunica-me o cuidado pastoral e a presença de Cristo (Jo l4.16-18: 2 Tm 1.7).
Meu descanso tranqüilo na sua presença terá lugar em verdes pastos. Em Jesus e na sua palavra, que são indispensáveis para uma vida abundante ( Jo 6.32-35)
Guia-me mansamente as águas tranqüilas de seu Espírito.
Leia: Sl 1.3 , Temos vida no Espírito?
Jo 7.37 Temos sede do Espírito?
Ou estamos cometendo os dois tipos de erros de que falou o Profeta Jeremias: Deixando o manancial das águas e cavando cisternas rotas(Jr 2.13). Ele me faz repousar em pastos verdejantes e guia-me mansamente a águas tranqüilas. Amém.

Um comentário:

  1. Oi meu irmão,estou aqui encantada com os textos do seu blog.
    Já sou seguidora.
    gostei do texto sobre as ovelhas.

    Betzy...

    ResponderExcluir

A sua participação é importante. Obrigado!

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...