Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

sábado, 19 de junho de 2010

Pare e pense


Celebrando a Unidade




“Então, profetizei conforme a ordem recebida. Enquanto profetizava, houve um grande barulho, um som de chocalho, e os ossos se achegaram, cada osso com o seu osso”. Ezequiel 37:7 

Esse texto é parte da narrativa de um dos episódios mais conhecidos e compartilhados pelos cristãos. Aquele em que o profeta Ezequiel é desafiado por Deus a profetizar sobre um vale de ossos secos. Um acontecimento instigante e desafiador, rico em figuras e elementos que revelam o propósito de Deus para com Seu povo, a eficácia do Seu poder operando em nós, conosco e através de nós, e que os impossíveis dos homens são possíveis a Deus. 


Na seqüência dos acontecimentos narrados por Ezequiel, este primeiro ato, que fala da “dança dos ossos”, me desperta uma atenção especial. Trata-se dos primeiros sinais perceptíveis da grande revolução que Deus quer gerar entre nós, para que cheguemos à condição de plenitude em que, sendo totalmente cheios do Seu Espírito, passemos a testemunhar, como filhos do Seu poder, Suas virtudes reveladas em nós. Como foi no Pentecostes, esse movimento do Espírito é marcado por um grande rebuliço, que chama a atenção por ser visível audível e dinâmico. Algo que vem do alto e descompõe uma ordem previamente estabelecida. Uma nova forma de organização que começa desorganizando a anterior.

Aqui está um dos desafios deste texto. Geralmente, quando nós pensamos em organizar, temos tendência a uma perspectiva estática de organização. Um tipo de arranjo que mantém as coisas sempre no seu devido lugar. Sendo assim, não haveria nada mais organizado do que um cemitério. Os anos passam e as “coisas organizadas” continuam lá, do mesmo jeito e no mesmo lugar em que as deixamos. 

Aliás, nós nos sentimos mais seguros se continuar sempre assim. 

Nesse sentido, quando o texto diz que: “os ossos se achegaram, cada osso com o seu osso”, por comodidade, tradicionalismo e religiosidade, nós podemos ser levados a pensar e estabelecer uma forma equivocada de organização: ajuntar os ossos por sua aparência, forma e tamanho. Um sistema organizacional objetivo em que prevalecem aqueles aspectos que podem ser medidos e comparados. Gavetas ou nichos etiquetados para as tíbias, os perônios, as falanges, os fêmures, as omoplatas e por ai afora. Tudo no seu devido lugar, marcado e definido. 

Contudo, o que essa afirmação nos revela é outro tipo de organização mais subjetiva e de medidas invisíveis. Uma organização de conotação dinâmica e não estática, em que os aspectos funcionais e vocacionais são mais relevantes do que os plásticos e estéticos. Assim, os ossos são retirados de suas “gavetas de repouso” e reunidos segundo uma nova ordem: cada osso com o seu osso. A estrutura funcional faz com que o osso de cada osso não seja necessariamente igual, mas que sejam relevantes um ao outro no desempenho da sua função. Eles deixam os de mesma forma para se juntar aos de outra forma.

Outra figura, bem mais rotineira e cotidiana, que nos ajuda a compreender isso são os talheres que usamos à mesa. Quando são retirados da mesa e levados para o seu repouso, são colocados em “jazigos” de descanso. Garfo com garfo, faca com faca, colher com colher jazem ali, aguardando a sua “ressurreição”, em que retornarão à vida, à oportunidade e ao privilégio de cumprir seu verdadeiro propósito e vocação. Então, quando são colocados à mesa, eles “ressuscitam”. Saem de suas sepulturas deixando para trás suas preferências pelas igualdades e vão celebrar suas diferenças. À mesa são, enfim, garfos, facas e colheres, juntos, cooperando uns com os outros, em perfeita harmonia e comunhão. Suas diferenças não são mais motivo de constrangimento, divergência ou separação, pois se complementam. Não há razão para comparações, pois elas seriam, no mínimo, impróprias e inoportunas. Sua plástica e composição estética não são tidas como extravagantes, porque são funcionais, condizentes com a sua identidade e propósito.  Assim, quando colocamos a mesa, aqueles que poderiam ser inimigos uns dos outros ou, pelo menos, estranhos e indiferentes uns aos outros, passam a ser a melhor companhia um do outro. Encontram o melhor de si mesmos, e o seu verdadeiro lugar no banquete, na medida em que cooperam entre si. Com certeza, não vamos experimentar as ações revolucionárias e transformadoras de Deus em nós, a não ser que nos deixemos levar por esse vento de aparente desorganização. Estaremos condenados a sermos inúteis e infrutíferos, se insistimos em permanecermos tão “embandeirados” em nossas igualdades, por mais que isso pareça ser o mais cômodo e seguro. A verdadeira segurança está em experimentarmos esse “rebuliço santo” em nossas vidas. Algo que nos abale e que nos arranque de nossas sepulturas de repouso e proteção, nos colocando à mesa. 

 

Escrito por: Pr. Paulo Jr

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Pare e pense

Você quer viver muito e ser feliz? 

SALMOS 34.11-22 

Venham, meus jovens amigos, e escutem, que eu os ensinarei a temer a Deus, o SENHOR. Vocês querem aproveitar a vida? Querem viver muito e ser felizes? Então procurem não dizer coisas más e não contem mentiras. Afastem-se do mal e façam o bem; procurem a paz e façam tudo para alcançá-la. Deus cuida das pessoas honestas e ouve os seus pedidos. Mas ele é contra os que fazem o mal; e assim, quando morrem, eles são logo esquecidos. Quando as pessoas honestas chamam o SENHOR, ele as ouve e as livra de todas as suas aflições. Ele fica perto dos que estão desanimados e salva os que perderam a esperança. Os bons passam por muitas aflições, mas o SENHOR os livra de todas elas. Ele os protege completamente; nenhum dos seus ossos é quebrado. Os maus serão mortos por causa das suas maldades; aqueles que odeiam os bons serão castigados. O SENHOR Deus salva a vida dos seus servos; aqueles que procuram a sua proteção não serão condenados.


                               O texto da meditação de hoje dispensa comentários, de tão explícito. O texto na versão NTLH nos trás a orientação de Deus para toda a humanidade, quer creiamos ou não. Como você tem se saído na busca pela PAZ? Todos queremos viver muito e ser felizes, não é? Gostaria de salientar que Deus não diz que esse cidadão estará livre de intempéries, pelo contrário, numa declaração que invalida todos os tais "profetas da teologia da prosperidade", o que Deus diz é exatamente o contrário: " Os bons passam por muitas aflições, mas o SENHOR os livra de todas elas. Ele os protege completamente; nenhum dos seus ossos é quebrado."  Você está preparado? Deus não é o seu gênio da lâmpada particular, mas o magnífico criador de todo o UNIVERSO, pela sua infinita GRAÇA garante que mesmo nas aflições e desertos da vida, ELE está contigo.
   PENSE NISTO 

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Pare e pense

SONHAR É VIVER
“E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.” (Joel 2:28)

A palavra de Deus nos diz, no texto acima, que no derramar do Espírito Santo, nossos velhos terão sonhos, e os jovens terão visões.  Precisamos viver essas verdades. Nós vimos que de Calebe se fala que: “Porém o meu servo Calebe, porquanto nele houve outro espírito, e perseverou em seguir-me, eu o levarei à terra em que entrou, e a sua descendência a possuirá em herança.”(Números 14:24). Nele houve outro espírito, o que o levou a perseverar, manter vivo o sonho, ter a visão daquilo que Deus tinha reservado para sua vida. Que espírito era esse? O Espírito Santo.
                Pois bem. Se você é um Cristão, se confessou pecador e recebeu Jesus como seu único e suficiente salvador, recebeu o Espírito Santo como o selo da promessa: “Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós. Mas o que nos confirma convosco em Cristo, e o que nos ungiu, é Deus, O qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.” (2Coríntios 1:20 a 22). Então, Deus diz de você que se for jovem, terá visões, e quando velho, sonhos. Calebe participou da visão de Deus de uma terra conquistada pelo exército de Israel, e, quarenta e cinco anos depois, ainda mantinha vivo o sonho de ocupar aquela terra. Como está sua capacidade de compartilhar as visões de Deus para sua vida? Você ainda consegue sonhar os sonhos de Deus, viver por eles, ou sua vida se resume aos seus sonhos, que por vezes já foram frustrados repetidas vezes? Às vezes você se sente como aquele da célebre lápide: “O epitáfio de muitas pessoas deveria ser: ‘Falecido aos 30, sepultado aos 60’.” – Nicholas Murray Butler? Quantas pessoas em nossos dias simplesmente desistiram de viver, e seguem pelo mundo como meros processadores de alimento, como sabiamente deixou registrado Leonardo da Vinci (“Vede aqueles que podem ser chamados simples condutores de comida, produtores de estrume, enchedores de latrinas. Pois deles nada mais se vê no mundo, nem qualquer virtude se observa no seu trabalho, nada deles restando além de latrinas cheias”-Anotações, Leonardo da Vinci). Sem sonhos ou visões, prosseguem, tal e qual os contemporâneos de Calebe, andando num deserto, reclamando da própria sorte e desejando voltar ao passado. O que Deus tem para a sua vida não é isso! A vontade de Deus é que na sua vida também haja um outro espírito, o Espírito Santo, operando em sua vida, trazendo as visões dos planos de Deus, te fazendo continuar sonhando, mesmo   depois dos 80, dos 90...
              
                Por quanto tempo você é capaz de manter vivo um sonho que Deus tenha revelado para sua vida? Nós vivemos numa sociedade muito imediatista, onde cada vez mais tudo é para ontem, todos exigem resultados imediatos e somos criados, treinados e doutrinados a agir da mesma forma com relação a Deus. Somos como crianças, que fazem birra para conseguir arrancar algo dos pais imediatamente. Paulo nos dá uma lição em Romanos 5:1 a 5: “TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.”  Se Calebe fosse entrevistado no final de sua vida, com toda certeza esse seria um resumo da lição que ele daria. Ele foi justificado pela fé (“Se o Senhor se agradar de nós, então nos porá nesta terra, e nô-la dará; terra que mana leite e mel.”Números 14:8); recebeu graça de Deus para atravessar o deserto, sem murmurar e sem se contaminar com os erros da maioria, enfrentando as tribulações como Paulo descreve no texto acima, e sendo abençoado com paciência, adquirindo experiência, que manteve sua esperança, de tal maneira que se manteve saudável e em forma até os oitenta anos de idade, com saúde de guerreiro, pois sabia que chegaria a conquistar o que lhe foi prometido por Deus! Mantenha-se vivo, como fez  Calebe, sonhando os sonhos de Deus para a sua vida. E se o inimigo vier com “conversa fiada” para cima de você, falando que você não é capaz, que os gigantes são poderosos e que a terra consome seus moradores, repreenda! Repreenda na autoridade da palavra de Deus, e você vai experimentar  a  RENOVAÇÃO de suas forças, permanecendo capaz de correr e não se cansar, caminhar a caminhada dessa vida e não se fatigar, não se debilitar, pois Deus lhe multiplica as forças e te faz mais que vencedor.

Texto extraído de meu livro CALEBE-O demolidor de gigantes - Editora Kelps - Goiânia .

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pare e pense

”Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou.” (1Reis 19:18)


Por Renato Vargens

Nas esquinas, nas ruas, nas cidades e vilarejos, por onde andamos, em todo país, torna-se absolutamente perceptível a multiplicação de pastores cujas doutrinas afrontam a verdade do evangelho. Em nome de Cristo, os mercadores da fé, comercializam todo tipo de unção, além de propalar doutrinas e comportamentos como, crentes de segunda classe; troca de anjo da guarda; arrebatamento ao 3º céu; festa dos sinais; night gospel song; sal grosso pra espantar mal olhado; maldições hereditárias; espíritos familiares, encostos; óleo ungido pra arrumar namorado; sessões do descarrego; “paipostolos”, monarcas da fé, coronéis apostólicos, música para o diabo, atos proféticos descabidos e burrificados, dentre tantas outras coisas mais.

Em meio a tanta loucura gospel a impressão que temos é que não sobraram neste “brasilzão de meu Deus” homens cujos joelhos não se dobraram a Baal. (1 Reis 19:18.) Entretanto, ao contrário do que pensamos ou possamos imaginar, Nosso Deus de forma graciosa, tem preservado milhares de cristãos em todo país, cujos corações continuam centrados no Senhor.

Tais pessoas não se venderam nem adotaram como prática de fé a maldita Teologia da Prosperidade, comercializando as bênçãos divinas. Antes pelo contrário, ainda que experimentando as privações que a vida impõe, jamais negociaram o evangelho da salvação eterna. Gente simples, abnegada, honesta e comprometida com a Bíblia, pastores íntegros e incorruptíveis e que acima de tudo amam a Deus.

Louvo a Deus pelos defensores da fé, pelo CACP e CPR, pela Mary Schultz, pelo Euder Faber e a Vinacc, pelos blogs de apologética como o da Nani, Genizah, Púlpito cristão, Márcio de Souza, Hermes Fernandes, e dezenas de outros mais que diariamente lutam contra os ensinamentos espúrios dos apóstolos modernos.


Bendigo ao Senhor pelo Antônio Carlos Costa, pelo Paulo Brito, Marcelo Gualberto, Isaías Lobão, Luiz Wesley, Franklin Ferreira, Russel Shedd, Hernandes Dias Lopes, Augusto Nicodemos, Ariovaldo Ramos, Nélio DaSilva e centenas de outros teólogos que mantém a viva a chama da verdade. Exalto a Deus por milhares de pastores íntegros e probos e desconhecidos esparramados por essa nação que não se corromperam, nem tampouco se locupletaram do dinheiro pertencente à igreja de Deus.

Caro leitor, louvado seja o Senhor, por que ainda existem 7 mil que não prostraram ante Baal. Isto posto pergunto, e você? Se encontra dentre aqueles que não apostatou da fé?

Pense nisso!

terça-feira, 15 de junho de 2010

Pare e pense

 Não seja precipitado


“Assim, tenham cuidado para não tirarem conclusões apressadas, antes da volta do Senhor, sobre se alguém é ou não um bom servo. Quando o Senhor voltar, derramará Luz sobre todas as coisas, a fim de que todos possam ver com exatidão o que cada um de nós realmente é bem no íntimo do coração. Então todos saberão com que intento temos feito a obra do Senhor. Naquele momento Deus dará a cada um o louvor que merece”. (I Coríntios 4.5 Viva)

    
Você sabe o que significa a palavra “Calúnia”? Calúnia é o ato de procurar desacreditar publicamente alguém, fazendo-lhe acusações falsas. É imputar um mal, é mentir a respeito de alguém, é inventar. Você é alguém que causa algum dano ao seu próximo disseminando comentários indevidos a respeito dele?

            A “calúnia” é um pecado da fala! Normalmente essa atitude é um resultado da inveja e reflete nitidamente a obra primária de Satanás. Você sabia que a palavra grega para “diabo” significa “caluniador”? A calúnia contra o irmão provoca grandes destruições, é uma transgressão a lei, à Lei de Deus.

            Jesus disse que as leis de Deus estão sintetizadas nos mandamentos de amar a Deus e ao próximo como a si mesmo, lembra disso? Pois é, quando você fala mal de alguém você está se colocando acima da lei do amor ao próximo. Você tem se comportado assim?

            O apóstolo Paulo não está tratando de um mandamento absoluto no texto de hoje sobre julgarmos as pessoas, mas sim às críticas que eram desferidas contra ele mesmo. Eram “calúnias”! Quando falamos falsamente contra um irmão na fé, falamos não apenas contra a pessoa, mas também contra a lei do Senhor Deus. Lembre-se o perfeito julgamento só será executado por Jesus na Sua volta!

            “Só Aquele que fez a Lei é que pode julgar corretamente entre nós. Só Ele decide salvar-nos ou destruir-nos. Portanto, que direito tem você de julgar ou criticar os outros?” (Tiago 4.12). Meu irmão, vigie! O Caluniador (Satanás) não descansa e procura motivos para lhe acusar. Resista a esse “Tentador” perseverando nos caminhos do Senhor. A obediência lhe fortalecerá! Fuja da tentação de falar mal do seu irmão. Em hipótese nenhuma você tem bons resultados com esse comportamento. Desvie-se do mal. Isso é andar com Jesus. Pense nisto.
 
Hagton
www.umbet.org.br

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Pare e pense

“ENTÃO Davi se retirou dali, e escapou para a caverna de Adulão; e ouviram-no seus irmãos e toda a casa de seu pai, e desceram ali para ter com ele. E ajuntou-se a ele todo o homem que se achava em aperto, e todo o homem endividado, e todo o homem de espírito desgostoso, e ele se fez capitão deles; e eram com ele uns quatrocentos homens. E foi Davi dali a Mizpá dos moabitas, e disse ao rei dos moabitas: Deixa estar meu pai e minha mãe convosco, até que saiba o que Deus há de fazer de mim. E trouxe-os perante o rei dos moabitas, e ficaram com ele todos os dias que Davi esteve no lugar forte. Porém o profeta Gade disse a Davi: Não fiques naquele lugar forte; vai, e entra na terra de Judá. Então Davi saiu, e foi para o bosque de Herete.” I Samuel 22: 1-5.
Na coluna Pare e pense de hoje, reproduzo um texto que Deus me deu no ano passado, num momento em que eu me encontrava literalmente "na caverna". Humilhado, perseguido, desorientado, mas ainda assim pude sentir a presença e a unção maravilhosa de Deus sobre a minha vida e de minha família. Naquele dia começava a nascer o livro "Calebe":

OS VALENTES NASCIDOS DE ADULÃO

Adulão: Significa Justiça do povo, refugio, esconderijo; é um complexo de cavernas que fica no vale de Elá, e segundo os arqueólogos e exploradores, existem partes desse complexo de cavernas que ainda não foram exploradas, e certamente caberiam ali todo aquele exercito que se ajuntou a Davi.

             Mas poderíamos estar nos perguntando: O que Davi, um valente, o homem que derrotou o gigante Golias, o valente cantado pelas mulheres de Israel em suas musicas (Saul matou a mil e Davi aos Dez milhares), o que esse homem estava fazendo ali naquela caverna.

A caverna de Adulão foi um lugar de tratamento na vida de Davi.

Davi havia vivido um momento de glória, estava bem com o povo, e esse estar de bem com povo, por Ter caído nas graças do povo, por Ter sua unção reconhecida e valorizada pelo povo, Davi despertou ciúmes em Saul , despertou a inveja de Saul, que passou então a persegui-lo.

Saul perseguiu a Davi porque ele sabia que o reino seria tirado dele, porque o profeta havia dito a ele que seu reino seria rasgado e tirado de suas mão, e ele então começou a perceber que ele era o rei, mas o ungido não era ele.
Israel passou a viver uma situação interessante, o rei que estava no trono, tinha perdido a sua unção.
O Ungido de Deus não estava no trono, Israel passou a viver uma situação de Ter um Ungido e um ex-ungido.

Saul não aceitava essa situação, mas a unção de Deus havia sido tirada de sobre ele, aquele Saul que antes profetizava junto aos profetas e que a bíblia nos fala que o Senhor havia tirado uma porção do seu Espírito de sobre os 70 profetas e colocado sobre ele era coisa do passado.

Queridos: a unção pode ser retirada de nós se não obedecermos à vontade do senhor, se não fizermos aquilo para o qual nos capacitou, se não nos dermos com amor e responsabilidade para o seu reino, a unção pode ser retirada de sobre nos.

É isso mesmo que você esta ouvindo: A UNÇÃO SE PERDE.

Foi o que aconteceu com Saul, ele perdeu a unção do Espírito de Deus em sua vida.
O que é unção? Unção é uma capacitação especial que o Senhor nos dá para realizarmos a sua obra.
Perde-se a unção e fica somente o azeite sobre os cabelos. Tem muita gente vivendo somente de sua força e do azeite que ainda pensa estar sobre sua cabeça, mas a unção de Deus se foi a muito tempo.

Davi estava ali naquela caverna por causa da perseguição do ex-ungido Saul, e ali foi um lugar de tratamento de Deus na vida de Davi.

O QUE ADULÃO PODE SIGNIFICAR PARA NÓS?

 
à Adulão é lugar de transformar a humilhação em honra.
Quem foram os homens que procuraram a Davi: (Vers.02) “Ajuntaram-se a ele todos os homens que se achavam em aperto, e todo homem endividado, e todos os amargurados de espirito, e ele se fez chefe deles; e eram com ele uns quatrocentos homens.”

Ali estava um Rei ungido, refugiado numa caverna, e só veio ao seu encontro, só veio estar com ele aqueles que realmente precisavam dele. Os filhos de Coré ouviram muitas vezes, conforme nos relatam no salmo 42:

“1 Como o cervo anseia pelas correntes das águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus!
2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e verei a face de Deus?
3 As minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, porquanto se me diz constantemente: Onde está o teu Deus?          .
4 Dentro de mim derramo a minha alma ao lembrar-me de como eu ia com a multidão, guiando-a em procissão à casa de Deus, com brados de júbilo e louvor, uma multidão que festejava.
5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação que há na sua presença.                    .
6 Ó Deus meu, dentro de mim a minha alma está abatida; porquanto me lembrarei de ti desde a terra do Jordão, e desde o Hermom, desde o monte Mizar.                    .
7 Um abismo chama outro abismo ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e vagas têm passado sobre mim.                                 .
8 Contudo, de dia o Senhor ordena a sua bondade, e de noite a sua canção está comigo, uma oração ao Deus da minha vida.                                                      .
9 A Deus, a minha rocha, digo: Por que te esqueceste de mim? por que ando em pranto por causa da opressão do inimigo?                                        .
10 Como com ferida mortal nos meus ossos me afrontam os meus adversários, dizendo-me continuamente: Onde está o teu Deus?                               .
11 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele que é o meu socorro, e o meu Deus.”                                       .

               Hoje você pode estar na mesma situação de Davi, quando as pessoas que o rodeiam te perguntam: “Onde está o teu Deus?”
                 O Senhor livrou Davi das mãos de Saul e muitos daqueles endividados, daqueles apertados, amargurados de espírito se tornaram em heróis em Israel, porque o Nosso Deus é um Deus que exalta ao humilde e abate ao soberbo. Adulão é o lugar que aceita os perseguidos e injustiçados e os redime, os transforma, e os torna gente.

àAdulão é lugar de troca de liderança e governo.
Aqueles 400 homens, antes serviam a Saul, mas não encontraram nele unção, não encontraram nele refrigério, não encontraram nele um sacerdote que os apascentasse diante do Pai, foram rejeitados por todos, mas encontraram refrigério e abrigo em Adulão. Davi recebeu a todos.
 O senhor Jesus, assim como Davi em Adulão diz para você : “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Eu vos receberei.
Aqueles homens que antes serviam a Saul, agora serviam a Davi, Trocaram o governo de suas Vidas.
Hoje também, é o tempo de você mudar o Governo e a orientação de sua vida. A religião não salva e nem justifica ninguém, mas Jesus sim. Ele, Jesus é a nossa Adulão, Ele é o nosso refugio seguro, Ele é a rocha de nossa salvação.

      Finalmente, irmãos, como resultado da ação de Deus na vida desses Endividados, apertados, amagurados de espírito, encontra-se registrado em 2Samuel  23, a partir do versículo 8 até o final do capítulo, os feitos desses que foram chamados VALENTES DE DAVÍ, formados na Escola da provação de Deus, certificados através das humilhações e privações, graduados pela fé num Deus invencível e que exalta os humilhados e humilha os exaltados.
Não sei você, meu irmão que lê esta meditação nesse momento, mas eu prefiro estar na caverna de adulão, onde há a unção de Deus, do que viver a glória humana de um palácio desprovido dessa unção.

A PAZ do Senhor seja com todos.


Dalton 

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...