Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

sábado, 3 de abril de 2010

Pare e pense

“As tribos israelitas mandaram que mensageiros fossem por toda a tribo de Benjamim e dissessem: — Que crime horrível vocês cometeram! Exigimos que vocês nos entreguem agora esses homens imorais para que nós os matemos. Assim tiraremos esse mal do meio do povo de Israel. Mas o povo de Benjamim não deu atenção aos outros israelitas. Eles saíram de todas as suas cidades e foram para Gibeá a fim de lutar contra o resto do povo de Israel.” (Juízes 20:12 a 14)
                Um dos mais tristes episódios da história de Israel, e que quase levou a tribo de Benjamim à completa extinção. Os homens da cidade de Gibeá fizeram terrível abominação (iguais às que lemos todos os dias nos jornais de hoje). A indignação atingiu todo o país, de maneira que as demais tribos exigiam que se fizesse justiça, e que as pessoas daquela cidade entregassem os malfeitores para receber a punição prescrita na Lei de Deus. Creio que a lição que devemos tirar desse triste episódio é jamais perder a capacidade de se indignar contra o que está errado, é ter humildade para reconhecer os erros e buscar, sempre, a misericórdia de Deus. A outra opção, é a que leva à extinção, provocando dor e tristeza. O povo da tribo de Benjamim havia perdido a capacidade citada, ao ponto de sair para guerrear contra o restante de Israel em defesa daqueles que cometeram tal brutalidade. E você, como anda sua sensibilidade ao que Deus chama de abominação?

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Pare e pense

“Não era um inimigo que estava zombando de mim; se fosse, eu poderia suportar; nem era um adversário que me tratava com desprezo, pois eu poderia me esconder dele. Porém foi você mesmo, meu companheiro, meu colega e amigo íntimo! Conversávamos com toda a liberdade e íamos juntos adorar com o povo no Templo.” (Salmos 55:12 a 14)
                Neste Salmo de Davi, escrito como reflexão sobre os Zifeus, que traíram Davi e revelaram a Saul onde ele havia se refugiado, Davi revela que foi traído por um amigo muito próximo, alguém que ía junto com ele adorar no Templo. Você já se viu numa situação destas? Provavelmente sim. Temos que lembrar constantemente que os homens podemos nos decepcionar, mas Deus nunca nos decepcionará.
               “Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR!”(Jeremias 17:5). Em quem está firmada a sua confiança?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Pare e pense

“Ele protege a vida dos que são fiéis a ele, mas deixa que os maus desapareçam na escuridão, pois ninguém vence pela sua própria força. Os inimigos de Deus, o SENHOR, serão destruídos; ele trovejará do céu contra eles. O SENHOR julgará o mundo inteiro; ele dará poder ao seu rei e dará a vitória a esse rei que ele escolheu.” (1Samuel 2:9 a 10)
                Preste atenção, caro leitor: “ninguém vence pela própria força”. Precisamos aprender essa verdade. O interessante é que, mesmo no meio da igreja, vemos pessoas que até pronunciam muito bem declarações deste tipo, mas comportam-se, agem, relacionam-se de maneira que praticamente gritam a todos ao redor que vencem por que merecem, vencem por que se prepararam e conquistaram algo. Deixe o Espírito Santo falar ao seu coração. Os maus que estão citados no texto, não são necessariamente pessoas vestidas tipo “irmãos metralha”. Não. Os maus são aqueles cheios de senso de justiça próprio, independentes de Deus e que, mesmo praticando coisas boas, para Deus são maus, pois não passam de “sepulcros caiados”(Mateus 23:27).Você consegue perceber isto?

quarta-feira, 31 de março de 2010

Pare e pense

“Mas Samuel disse:  O que foi que você fez? Saul respondeu:  Eu percebi que o povo estava me abandonando e indo embora. Você também não veio como havia prometido, e os filisteus já estavam reunidos em Micmás. Aí eu pensei: Os filisteus vão descer a Gilgal para me atacar, e eu ainda não tentei conseguir a ajuda de Deus, o SENHOR. Então achei que tinha de oferecer o sacrifício. O que você fez foi uma loucura!  respondeu Samuel.  Você não obedeceu à ordem do SENHOR, nosso Deus. Se tivesse obedecido, ele teria deixado que você e os seus descendentes governassem o povo de Israel para sempre.” (1Samuel 13:11 a13)
                Havia apenas um ano que Saul se tornara rei sobre Israel, e o bichinho da vaidade já estava corroendo seu coração... Neste episódio Saul começa a demonstrar sua terrível inclinação a justificar-se dos erros, ao invés de assumir a culpa e colocar-se debaixo da Graça de Deus. O resultado nestes casos sempre será o juízo frio da Lei, pois homem algum consegue  ser justo por sí só. Como está seu senso de justiça próprio? 

terça-feira, 30 de março de 2010

Pare e pense

“Anunciem comigo a sua grandeza; louvemos juntos o SENHOR.Eu pedi a ajuda do SENHOR, e ele me respondeu; ele me livrou de todos os meus medos.”(Salmos 34:3 a 4)...”Ele fica perto dos que estão desanimados e salva os que perderam a esperança.Os bons passam por muitas aflições, mas o SENHOR os livra de todas elas.” (Salmos 34:18 a 19)
                Davi escreveu este Salmo quando de seu livramento no episódio envolvendo Aquis (Abimeleque) (1Samuel 21:10 a 15). Contrariando a teologia da prosperidade, e pregando o Evangelho da vida real, Davi atesta que “muitas são as aflições do justo”. Note que Davi sabia que Deus não nos promete uma vida sem problemas, pelo contrário, Deus nos informa que serão  MUITAS AFLIÇÕES. Preste atenção. Não diz aqui que serão algumas aflições, não diz que serão poucas aflições, o texto é muito claro e objetivo. Amigo, seguindo a Deus, você terá muitas aflições. A notícia boa está na continuação: ...mas o Senhor o livra de todas elas... Deus não te livra da maioria, Ele não vai te livrar de algumas. Deus te livra de TODAS. Você crê nisto? Pode dar um Aleluia, Glória a Deus? Jesus Falou que “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”(João 16:33)

segunda-feira, 29 de março de 2010

Agenda de divulgação do livro

Caros irmãos e amigos,

     Aconteceu ontem, dia 28.03, o lançamento oficial do livro em Goiânia, conforme comunicado aqui no blog do Calebe e através do grupo de distribuição de e-mail.
     Agradeço a Deus, que esteve presente, derramando unção especial naquele templo, absolutamente lotado de pessoas e inundado pela Graça e unção de Deus. Houve quebrantamento, tivemos um momento de restauração da aliança, quando todo o conselho daquela congregação recebeu oficialmente eu e minha casa, dando-nos honra como pioneiros do Ministério Sal da Terra em Goiânia. Reencontramos inúmeros irmãos e amigos, compartilhamos experiências do último ano, e glorificamos o Nome de DEUS. A Ele toda a honra e toda a Glória.
     Agradeço a todos os irmãos da congregação da T-28 que compareceram ao evento, demonstrando que existe amor genuíno em seu coração, daquele que ama as pessoas não pelo que elas têm, mas pelo que elas são. Deus abençoe todos vocês. Eu e minha casa estamos à disposição dos amados irmãos da congregação T-28, notadamente daqueles que desejam realmente compreender os acontecimentos dos últimos meses, sem espaço para boatos ou falatórios, mas no mesmo propósito e espírito citado em 2Timóteo 2:1 a 16.

Graça e PAZ!

domingo, 28 de março de 2010

Pare e pense

“Fale com Arão e com os seus filhos e diga-lhes que abençoem o povo de Israel do seguinte modo: Que o SENHOR os abençoe e os guarde; que o SENHOR os trate com bondade e misericórdia; que o SENHOR olhe para vocês com amor e lhes dê a paz. E Deus disse: Assim, Arão e os seus filhos pedirão as minhas bênçãos para o povo de Israel, e eu os abençoarei.” (Números 6:22 a 27)
                É a bênção sacerdotal. Você já parou para pensar na importância de pôr a bênção de Deus naqueles que estão sob nosso cuidado? Os sacerdotes eram os responsáveis pela vida espiritual do povo, e, portanto, deveriam frequentemente abençoá-los conforme orientação de Deus. Quando eu era criança, fui ensinado a sempre pedir a bênção dos mais velhos: “A bênção, meu pai... A bênção minha mãe...” no que era respondido: “Deus te abencôe, meu filho”. Embora mecanicamente, muito melhor do que a saudação dos jovens de hoje em dia, não é? “E aí, velho! Bacana?”... Parece que deixamos de ensinar respeito, e os jovens deixam de receber a bênção. Podemos mudar, você condorda? Comece hoje mesmo, e você vai perceber a diferença!

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...