Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

sábado, 7 de agosto de 2010

Pare e pense

ESSE MISAEL NÃO PEDIU ABEAS-CORPUS
                “Ao ouvir isso, Nabucodonosor ficou furioso e mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Eles foram levados para o lugar onde o rei estava, e ele lhes disse: — É verdade que vocês não prestam culto ao meu deus, nem adoram a estátua de ouro que eu mandei fazer? Pois bem! Será que agora vocês estão dispostos a se ajoelhar e a adorar a estátua, logo que os instrumentos musicais começarem a tocar? Se não, vocês serão jogados na mesma hora numa fornalha acesa. E quem é o deus que os poderá salvar? Sadraque, Mesaque e Abede-Nego responderam assim: — Ó rei, nós não vamos nos defender. Pois, se o nosso Deus, a quem adoramos, quiser, ele poderá nos salvar da fornalha e nos livrar do seu poder, ó rei. E mesmo que o nosso Deus não nos salve, o senhor pode ficar sabendo que não prestaremos culto ao seu deus, nem adoraremos a estátua de ouro que o senhor mandou fazer.” (Daniel 3:13 a 18)
                Ontem os telejornais noticiaram que um certo Misael (que tem até sobrenome eclesiástico) conseguiu na justiça outro abeas-corpus, livrando-o de ir para a prisão pela acusação de um crime bárbaro.
                Em meio a tanta repercussão, acabei me lembrando de outro personagem que tinha esse nome, cujo significado de acordo com a Wikipédia é: “O nome Misael é originário do hebraico e significa "quem é como Deus?", ou "quem é semelhante a Deus?". Esse personagem teve o nome alterado pelo rei Nabucodonosor, passando a se chamar “Mesaque, em referência aos deuses do rei, pois o significado mudaria de "quem é como Deus - quem é semelhante a Deus" para, "quem é como Aku, semelhante à Aku".(Wikipédia) Sendo Aku um deus babilônico.
                Que ironia, eu pensei. Enquanto o Misael atual (Que aliás, dadas as circunstâncias caberia melhor o nome de Mesaque) procura por todos os meios livrar-se da caldeira (O que, a julgar pelas provas e testemunhas apresentadas pela polícia provavelmente até mereça); o outro Misael (Esse sim declarando com sua vida que “Quem é semelhante a Deus?”) Esse sim, acusado injustamente e numa manobra política de seus adversários, não apenas se apresentou para adentrar à fornalha, como declarou-se pronto a morrer queimado se Deus não o salvasse!
                Será que esse seria o comportamento, por exemplo, desses (falsos) pastores da teologia new-gospel aonde Deus deve ser seu gênio da lâmpada particular e tem a obrigação de atuar vinte e quatro horas como guarda-costas?  Precisa ter coragem para viver tamanha fé, aonde confiamos nossa vida de tal forma a Deus, que mesmo expressando nossa vontade sincera de não passar pelas fornalhas da vida, declarar que se Deus, em sua soberana vontade assim o desejar, enfrentaremos de cabeça erguida, não nos vendendo ao rei de babilônia ou ao que quer que seja (amuletos da sorte, rosas ungidas, lenços ungidos, patuás, e o que for).
                A DEUS toda a honra e toda a Glória. 

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Um pouco de humor para o final de semana

Ah... Se a verdadeira Eva conhecesse realmente a Palavra de Deus...
O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. (Oséias 4:6)


Pare e pense

“LEVANTA-TE, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti; Porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti.”(Isaías 60:1 e 2)

           Meditando na palavra acima, me deparei com a postagem do blog da Igreja Batista Getsêmani, o qual tomo a liberdade de reproduzir abaixo, para nossa reflexão de hoje:




 Graça e paz do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo!
                Hoje eu quero falar-lhes sobre uma ordem que o Senhor que te dar. É necessário que quando nós vamos interagir com Deus, precisamos ter uma posição diante dele. Isso significa que: Quando nós queremos saber o que Deus quer nos falar, precisamos, primeiramente, saber como devemos nos posicionar diante dele, e nós aprendemos isso lendo a palavra de Deus, porque é por não ler a Palavra que somos destruídos (Oséias 4:6).
 Mas, quando nós já sabemos qual a nossa posição diante de Deus devemos, agora, tomar uma decisão, agir, para que Deus possa agir também, devemos nos levantar e resplandecer,isto é, devemos querer algo de Deus, buscar algo de Deus. Porque assim está escrito no livro de Isaías, capítulo 60 e versículo primeiro: “Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti”. Para que a glória do Senhor possa nascer sobre mim e sobre você, antes é necessário que nós demonstremos a Ele que nós estamos buscando por ela, e nós fazemos isso buscando, querendo ter, verdadeiramente, uma experiência com o Deus Todo Poderoso.
 Já é tempo de nós buscarmos ter uma comunhão, uma intimidade maior com o Deus que nós servimos, porque o tempo já está se acabando, a vinda de Jesus nunca esteve mais clara, mais próxima. Os sinais estão acontecendo, tudo que está escrito no livro de Mateus 24 já está acontecendo, o princípio das dores já começou, e quem não estiver preparado para enfrentá-lo vai perecer, certamente. Mas se nós estivermos em comunhão com Deus, e se nós buscarmos o reino de Deus, como está escrito no livro de Mateus 6:33, nada disso nos irá afetar, porque está escrito Eis que cedo venho, guarda o que tens para que ninguém roube a sua coroa, e é está coroa que nós devemos guardar a todos custo, porque ela é o que nos garante a vida eterna. Precisamos tomar, imediatamente, uma posição diante de Deus para que não sejamos pegos de surpresa, porque Jesus disse que viria como um ladrão, isto é, ninguém sabe quando o ladrão vai aparecer, e por isso devemos estar a todo momento vigiando e orando, para que não sejamos pegos de surpresa.
 É hora do povo de Deus se levantar de resplandecer e tomar posse da luz que virá sobre nós, para que possamos ter a certeza de que quando Jesus voltar, e chamar os seus, Ele possa dizer o meu e o seu nome na seguinte frase VINDE A MIM seunome , BENDITO DE MEU PAI. Essa, para mim, é a maior alegria que alguém pode ter, e é por essa alegria que eu me mantenho vivo, na esperança de ouvir Jesus voltar e chamar o meu nome para morar com ele nas mansões celestiais.
Por  Rafael Cavalcanti Santos

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Pare e pense

           Esse é o Deus que eu creio e sirvo! A postagem abaixo, de autoria do pastor Hermes C. Fernandes (http://hermesfernandes.blogspot.com) fala a respeito de falsos religiosos e o verdadeiro Deus, que conforme descrito no texto: "Ah se os cristãos de hoje aprendessem a posicionar-se como seu Mestre! Ele jamais Se preocupou em ser politicamente correto. Nunca posicionou-Se por uma ideologia. Grupo algum tem procuração pra falar em Seu nome. Não queiram usá-lO em suas propagandas políticas ou ideológicas. Não coloquem em Seus lábios palavras que Ele jamais pronunciou. Ele segue sendo contra a prostituição, mas jamais deixará de posicionar-Se pelas prostitutas. Ele segue condenando o aborto, mas acolhendo aquelas que na hora do desespero o praticaram. Ele não endossa a vida promíscua nem de héteros, nem de homossexuais, porém, não subscreve atitudes homofóbicas.
Não conte com Ele para participar de nenhum linchamento moral.
Ele Se identifica sempre com os oprimidos, jamais com os opressores. Com os condenados, não com os seus algozes. Com os discriminados, e não com os preconceituosos.
Ele não apaga arquivos! Ele apaga pecados!"

Queima de Arquivo

Que dia! Jesus estava exausto. Parecia que ir a Jerusalém não tinha sido uma boa ideia. Já era o último dia da festa dos tabernáculos. Gente de tudo o que era lado. Enquanto manteve o âmbito de Seu ministério nas periferias da Galiléia, ninguém se incomodava. Mas agora Ele estava no centro do poder. Sua mensagem era por demais subversiva para ser tolerada. O status quo havia sido desafiado. As autoridades haviam emitido uma ordem de prisão para Ele. Porém, os guardas não conseguiram prendê-lO, não por causa da multidão que O cercava, nem mesmo por não haver qualquer acusação formal contra Ele, mas simplesmente por ouvirem de Seus lábios palavras jamais ditas por um ser humano. Naquele dia, Jesus foi duramente julgado e criticado pela elite religiosa de Jerusalém, que sentia-se ameaçada por Sua crescente popularidade. A bem da verdade, Seu ministério havia sofrido uma guinada recentemente. Muitos dos Seus discípulos O haviam abandonado (Jo.6:60-69), alegando que Seu discurso estava ficando muito duro. Seus irmãos carnais revelaram sua incredulidade quanto à Sua identidade divina (Jo.7:1-5). Chegando em Jerusalém de surpresa, percebeu que Sua fama O havia precedido. Poderia se dizer qualquer coisa acerca d’Ele, menos que era uma unanimidade. Se para uns, Ele era “o cara”, para outros não passava de um enganador (Jo.7:12). Lá sofreu todo tipo de preconceito e discriminação. Julgaram-nO por não ter uma educação formal (v.15). Chamaram-nO de endemoninhado (v.20). Tentaram desacreditá-lO por causa de Sua origem galiléia, já que de lá não se podia esperar nada que prestasse (Jo.1:46), quanto mais um profeta (vv.41,52). Tentaram desclassificá-lO de todas as maneiras. Sua popularidade estava altíssima, mas Sua credibilidade posta em xeque.
Depois de um dia como aquele, nada melhor que recostar a cabeça no travesseiro e tentar esquecer os problemas. Embora tenha sido esta a pedida dos Seus discípulos e oponentes, Ele preferiu retirar-Se para orar.
Após uma noite em vigília, Jesus aparece no templo logo nas primeiras horas. Ele tinha uma agenda a cumprir, e não seriam as críticas e tentativas de prendê-lO que a alteraria.
Enquanto ensinava cercado de uma multidão, a elite religiosa se aproxima e O interrompe com uma importante questão que precisava ser equacionada.
No meio daquela turba raivosa, uma mulher pega em flagrante adultério. Pelo jeito havia provas suficientes para incriminá-la. Quem a flagrara estava ali para prestar depoimento. De acordo com a Lei, ela deveria ser executada sumariamente, e a pena prescrita era o apedrejamento.
Porém antes de executá-la, alguém teve a “brilhante” ideia de usá-la para incriminar Jesus. Cairíam dois coelhos com um única cajadada. Aqueles homens sabiam que para deter aquele mestre galileu, precisavam mais que uma ordem de prisão. Aquela era a oportunidade de enredá-lO com Suas próprias palavras. Caso caísse na armadilha, eles O prenderiam sem titubear, pois teriam motivos razoáveis para isso.
Era, de fato, uma sinuca de bico. Se Jesus Se pronunciasse contrário ao apedrejamento, Ele seria acusado de obstrução da lei, e isso resultaria em Sua prisão imediata. E se Ele Se pronunciasse a favor da execução, Ele seria acusado de incoerência com aquilo que pregava. Isso fatalmente afetaria Sua credibilidade e popularidade.
Jesus estava sob pressão. Tinha que escolher de que lado ficaria, do lado da Lei ou da mulher.
Qual foi Sua reação? Jesus inclinou-Se e começou a escrever na terra, como fazem as crianças. Aliás, é a única vez nas Escrituras em que Jesus aparece escrevendo algo. Em vez de caneta e papel, o mestre preferiu usar o dedo e a terra. Não me pergunte o que escreveu, pois ninguém seria capaz de precisar. Porém, arrisco uma palpite. Talvez Ele escrevesse os pecados daqueles que a condenavam.
Atrevo-me a sugerir que dentre seus algozes, havia quem já houvesse usufruído da vida promíscua daquela mulher. Jesus Se deu conta de que o que estava prestes a ocorrer ali, em pleno templo, era uma queima de arquivo. Aquela mulher sabia demais. Se fosse hoje, bastava encontrar sua agenda telefônica, para deparar-se com o número de muita gente importante.
Jesus identificou-Se com ela. Não com os seus pecados, mas com a discriminação que sofria. Pela primeira em sua vida, ela se sentia amada e protegida. Em vez de revidar, negar as acusações, e até denunciar os que com ela já havia se deitado, aquela mulher preferiu confiar no veredito de Jesus.
Acho até que a mensagem que Jesus proclamara um dia antes, em plena fervecência da festa, teria sido ouvida por ela, ou ainda, dirigida especialmente a ela. Digo isso por notar o quanto aquela mensagem parecia com a que Jesus transmitira a outra mulher cuja vida também era regida pela promiscuidade (Repare na coincidência: Jo.4:13-14 e Jo.7:37-38).
Agora Jesus teria que salvá-la, mas sem ser condecendente com seus pecados.
Suas sábias palavras ecoariam pela história:
“Aquele que dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra” (Jo.8:7).
Alguém se habilita?
O mestre segue escrevendo na areia. De repente, ouve-se um barulho. Eram pedras caindo, uma a uma. O único com autoridade moral para lançar a primeira pedra, abdicara-Se deste direito. “Pode algum de vós acusar-me de pecado?”, perguntou no mesmo discurso (v.46).
Quem ousaria contestá-lO?
Ah se os cristãos de hoje aprendessem a posicionar-se como seu Mestre! Ele jamais Se preocupou em ser politicamente correto. Nunca posicionou-Se por uma ideologia. Grupo algum tem procuração pra falar em Seu nome. Não queiram usá-lO em suas propagandas políticas ou ideológicas. Não coloquem em Seus lábios palavras que Ele jamais pronunciou. Ele segue sendo contra a prostituição, mas jamais deixará de posicionar-Se pelas prostitutas. Ele segue condenando o aborto, mas acolhendo aquelas que na hora do desespero o praticaram. Ele não endossa a vida promíscua nem de héteros, nem de homossexuais, porém, não subscreve atitudes homofóbicas.
Não conte com Ele para participar de nenhum linchamento moral.
Ele Se identifica sempre com os oprimidos, jamais com os opressores. Com os condenados, não com os seus algozes. Com os discriminados, e não com os preconceituosos.
Ele não apaga arquivos! Ele apaga pecados!
Os que predendiam apedrejá-la, saíram de fininho. Mas as pedras ali ficaram, a espera de quem se habilitasse a usá-las.
O que poucos percebem é que no final de Seu discurso, tomaram as mesmas pedras que seriam destinadas àquela mulher, para apedrejá-lO (Jo.8:59).
Quem diria… o que deveria ser Casa de Oração, tornara-se CASA DE EXECUÇÃO…
Que dia… hein Jesus?

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Pare e pense

Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.(Salmos 119:105)


           Em minha atual atividade de consultoria, faço seleção de pessoal (RH) para várias empresas. Outro dia, durante uma entrevista com candidatos, aconteceu algo que me fez lembrar do texto que apresento logo abaixo, já bastante conhecido.
            Estava eu entrevistando um jovem rapaz, e perguntei sobre seu hábito de leitura, se gostava de ler. Ele prontamente respondeu que sim, adorava ler! Pedi a ele que me falasse sobre o livro que leu mais recentemente. Ele suspirou e falou: -Aí tá difícil, já tem uns sete anos!... Eu ponderei com ele: -Mas se você gosta de ler, como falou, porque tem sete anos que você leu o último livro? 
            Neste ponto é que a entrevista ficou interessante. Creio que ele viu a Bíblia que estava sobre a mesa, e falou então: -É que eu leio atualmente apenas a Bíblia. De pronto então eu falei: - Que ótimo! Então fale-me sobre a Bíblia, que livro da Bíblia você está lendo, qual o assunto, o que você está achando? O rapaz então engasgou um pouco, gaguejou, mas não conseguiu falar nada do assunto. Desclassificado da seleção, aconselhei o tal rapaz a ler, realmente e de maneira séria, ao menos a Bíblia, como ele havia se proposto.
        Vamos ao texto, que sei que muitos já conhecem, e a maioria se identifica com o relatado nele:
Diário de uma Bíblia
20 de janeiro - Passei uma semana calma. Nas primeiras noites do Ano Novo, meu proprietário me leu diariamente, mas agora parece que me esqueceu.

16 de fevereiro - Hoje foi faxina geral de final de verão. Fui desempoeirada como outros objetos e recolocada em meu lugar.

24 de março - Fui utilizada depois do café pelo meu proprietário. Ele analisou alguns trechos e me levou ao culto.

08 de maio - Hoje foi um dia duro de trabalho. Meu proprietário dirigiu um estudo Bíblico e teve que procurar vários versículos. Raras vezes os encontrava, mesmo estando todos no velho lugar.

01 de junho - Hoje alguém colocou um trevo de quatro folhas entre minhas páginas.

29 de junho - Fui colocada, juntamente com roupas e outros objetos, dentro de uma mala. Parece que estamos em viagem de férias.

10 de julho - Ainda estou na mala, embora quase todos os outros objetos já tenham sido retirados.

15 de julho - Estou novamente em casa, no meu velho lugar. Foi uma viagem cansativa. Não entendo porque tive que participar dessa viagem.

10 de agosto - Hoje fui utilizada por Maria. Ela escreveu para sua amiga e procurou um versículo para ela, pois seu pai faleceu.

20 de agosto - Novamente fui desempoeirada.

* Seria esta a sua Bíblia? *

"Creio que unicamente a Bíblia tem as respostas para nossas perguntas e que nós apenas devemos ter tempo para parar e, humildemente perguntar, para dela receber a resposta certa."
Dietrich Bonhoeffer
Fonte: Caneta Cristã  

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Pare e pense

Leia no Pare e pense de hoje, matéria da revista ULTIMATO 325:

Não quero me lembrar de tudo
A partir de hoje, com a ajuda de Deus, vou deixar de me lembrar de muitas coisas.
Não me lembrarei de alguns traumas da infância. Daquele professor que zombou de mim em público quando escrevi uma palavra errada no quadro-negro. Daquela correada de meu pai que atingiu o tumor que eu tinha na barriga. Da falta de aplicação aos estudos que me obrigou a repetir a série duas vezes. Das discussões sem fim entre meu pai e minha mãe. Do suicídio do garoto da minha idade perto da minha casa. Daquele teco-teco que caiu e matou o piloto.

Não me lembrarei dos pecados anteriormente cometidos, dos pecados ocultos nem dos pecados públicos. Não há proveito algum nessa lembrança mórbida e desnecessária, pois já chorei por eles e eles já foram confessados, perdoados e removidos.

Não me lembrarei daquela provocação, daquela injustiça, daquela dolorosa afronta que alguém me dedicou. Vou me esquecer do lugar, da data e das circunstâncias em que o desagravo aconteceu. Considerarei definitivamente perdoada a pessoa que o cometeu. Porei no fogo documentos históricos que lembrem esse incidente e qualquer outro do mesmo porte. Ficarei completamente livre de recordações incômodas.

Não me lembrarei demasiadamente das placas, dos troféus, dos diplomas, das honrarias, dos prêmios, das coroas recebidos no percurso da minha caminhada. Para evitar o espírito de superioridade, o nariz empinado, a empáfia, a situação de risco, a queda. Para não provocar a inferioridade nem a antipatia alheias. Com a ajuda de Deus, lançarei minha coleção de coroas diante “daquele que está sentado no trono e que vive para todo o sempre” (Ap 4.9).

Não me lembrarei unicamente de mim, de minhas dores, de meu sofrimento, de minhas carências, de minha posição, de meus bens. Esse mandamento recebi de meu Pai. Ele tem me dito e repetido: “A pessoa que procura seus próprios interesses nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo terá a vida verdadeira” (Lc 17.33, NTLH). Não me será fácil agir dessa maneira cristã, pois, como descendente de Adão, eu me lembro de tudo, menos dos outros. Porém de hoje em diante será diferente! Que o Senhor me socorra!



segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Pare e pense

A QUEM SERVIMOS?
”e disse: — Eu lhe darei todo este poder e toda esta riqueza, pois tudo isto me foi dado, e posso dar a quem eu quiser. Isto tudo será seu se você se ajoelhar diante de mim e me adorar. Jesus respondeu: — As Escrituras Sagradas afirmam: “Adore o Senhor, seu Deus, e sirva somente a ele.” (Lucas 4:6 a 8)
          A matéria de capa da Revista Istoé desta semana trás uma reportagem que nos chama a atenção para a decepção Nacional ocorrida com a troca de posições entre Felipe Massa e seu oponente, da mesma equipe, por motivos meramente financeiros. Um episódio lamentável, transmitido a milhões de pessoas no mundo todo, e que gerou reações das mais diversas em todos. Realmente, sem querer aqui questionar o comportamento de Felipe Massa, eu não consigo imaginar um Ayrton Sena reduzindo a marcha para seu oponente ultrapassar; também não consigo imaginá-lo acelerando para ultrapassar um oponente comprado. Creio até que ele fazia parte de uma estirpe de atletas da F-1 que está cada dia mais em falta nos dias de hoje. (Emerson Fitipaldi, Niki Lauda, e tantos outros). É algo impensável, por exemplo, que Niki Lauda um dia aceitasse subir a um pódio que ele não tivesse conquistado “no braço”.
                Mas este é o mundo em que vivemos, e como bem abordado na matéria, aonde o Fernando Alonso chega a ser comparado com “Dick Vigarista” (aquele famoso personagem dos desenhos animados que vivia armando maracutaias para vencer as corridas), as reações da maioria é de nojo, indignação e decepção.
                Lembrei-me de um episódio envolvendo madre Tereza de Calcutá (Não, ela não estava dirigindo um F-1):
Em 1979, ela veio pela primeira vez ao Brasil, em Salvador, na Bahia, na favela de alagados, fundar a 1ª casa brasileira da congregação. Um jornalista foi até o hospital de Madre Tereza, onde ela cuidava dos pobres, abandonados, doentes e famintos, para conhecê-la. Enquanto aguardava por ela, ficou observando os cuidados da freira com os doentes. Ela limpava as feridas dos leprosos com um carinho incondicional à todos. 
O jornalista visivelmente impressionado com aquela cena, se aproximou da freira e disse: "Irmã, eu não faria isso por dinheiro nenhum deste mundo."
Ela parou por um instante os cuidados com o doente, olhou para o jornalista e respondeu: "Eu também não meu filho, eu também não faria isto por dinheiro nenhum deste mundo!"
Em 1979 Madre Tereza recebeu o Prêmio Nobel da Paz. 
                Quando o diabo tentou Jesus no deserto, oferecendo-lhe fama e riquezas, sabia muito bem o que estava fazendo. É uma proposta que ainda hoje muitos consideram irrecusável, sofrendo as conseqüências de tal ato. Jesus, na passagem da tentação no deserto, soube enfrentar o inimigo usando a Palavra de Deus — “As Escrituras Sagradas afirmam: Adore o Senhor, seu Deus, e sirva somente a ele.”
                Infelizmente, atitudes como a da matéria da Istoé desta semana estão se tornando mais comuns do que deveriam, inclusive no meio dito evangélico, e a decepção que muitos crentes sofrem ao ver seus pastores agindo com esse espírito do “topa tudo por dinheiro” tem gerado uma multidão de “desigrejados”, pessoas decepcionadas e desiludidas com os lobos travestidos de pastores que comandam muitas das igrejas, com intuitos meramente financeiros, visando essencialmente o lucro pessoal, com discurso pseudo-cristão arrecadam milhões com justificativas de que estão investindo em missões, quando sua única missão é enriquecer. Alguns até colaboram com algumas migalhas, como o pastor da igreja que freqüentei por muitos anos, que anunciava (e provavelmente ainda anuncia) aos irmãos que sua oferta estaria sustentando “missionário fulano” no Nepal, “missionário Fulano”na Africa, enquanto apontava para o gazofilácio, mas o que era de fato enviado não representava nem 5 % da arrecadação. E enquanto os tais missionários continuam passando necessidades, vemos pastores enriquecendo a olhos vistos, mudando radicalmente seu padrão de vida, tratando as suas ovelhas como rebanho particular.
                   O que é sucesso? É Ter dinheiro sobrando? Prestígio nacional e internacional? Fama? Diante desta pergunta a maior parte das pessoas respondem: é ter dinheiro!
A bíblias nos ensina que não devemos colocar em nossa vida o dinheiro acima dos nossos ideais, mas fazer um trabalho com amor, pautado em virtudes, da melhor forma possível, pensando sempre em contribuir com o mundo que vivemos. As grandes personalidades da história não fizeram seus grandes feitos por dinheiro, ao contrário, quem só trabalha por dinheiro jamais tem o suficiente. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro.
“E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens, Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.” (Colossenses 3:23 e 24)

domingo, 1 de agosto de 2010

Pare e pense

para que os seus corações sejam animados, estando unidos em amor, e enriquecidos da plenitude do entendimento para o pleno conhecimento do mistério de Deus - Cristo, no qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência.(Colossenses 2:2 e 3)


A ZUMBIFICAÇÃO DA FAMÍLIA E A MORTE DO MUNDO!...

A falta de família determina os grandes problemas sociais hoje no mundo

Um mundo sem famílias será um mundo sem amor!
Mas e não há mais famílias no mundo?...
Claro que há; mas está acabando...
Ainda há pai e mãe, apesar de que muitos são apenas progenitores, e, dia a dia, menos pais e mães de fato...
Daqui a tempos [não muitos tempos] haverá uma grande quantidade de filhos de proveta e sem pais de fato.
Hoje se vê a falta de família determinando os grandes problemas sociais nas grandes cidades do mundo...
São meninos e meninas cheios de ódio e de rancor; tomados de vontade violenta; irreverentes; prontos para qualquer coisa suicida...
Prova disso, além da proliferação das drogas químicas que matam, há ainda os crimes contra pai, mãe, avós e parentes...
O que poderá fazer o Estado em favor de uma sociedade sem famílias?...
Não basta haver progenitores ou agentes legais de paternidade e maternidade...
O que falta mesmo é a velha e saudável noção de família, de casamento, de educação, de respeito, de reverencia pelos mais velhos; e, sobretudo, falta a certeza de que pai e mãe são para sempre...
Ora, este último aspecto é o mais fundamental...
Entretanto, tal conceito está moribundo pelo fato não apenas de os pais se separarem com extrema facilidade, mas, também, em razão de que tais pais, uma vez separados, trabalham contra a antiga família...
São homens, pais, que se vão e não mais voltam...
São mulheres, mães, que uma vez separadas trabalham contra o ex-marido em relação aos filhos...
No fim o que fica são esses meninos zumbis...
Sim! Zumbis sem vida e amor; apenas prontos para os espasmos da vontade suicida e descomprometida com o sentido da vida...
Um mundo assim será uma assombração...
De fato a Terra está se tornando um lugar mal-assombrado...
É do Haiti que hoje me vem a maior inspiração para crer no poder do amor...
É a terra do Vodu?...
É o que dizem...
Todavia, apesar de tudo, na atual catástrofe se viu a poder do amor de pais por seus filhos e de filhos pelos seus pais...
Houve quem, debaixo da terra, cavasse 50 horas, sozinho, a fim de salvar um filho igualmente sob os escombros; tendo o mesmo acontecido também com filhos que viraram tatus em busca de suas mães...
Em New York tal catástrofe talvez não tivesse as histórias pessoais de amor e compromisso com pai, mãe e filhos que se viu e se vê no Haiti...
Aqui, e dizem que o Haiti não é AQUI, o que se vê é um terremoto sem abalos sísmicos, mas que faz a alma tremer de desesperança e desamor...
No processo de glacialização do amor no mundo, a morte do sentido e significado de família é o agente mais devastador...
A Grande Bomba do mundo é a existência sem família e sem amor!...
Quem acha isso “careta” haverá de ver a careta dos filhos contra os pais e dos pais contra os filhos...
Eu creio na essencialidade da família porque eu creio no Pai, no Filho e Espírito Santo!
Quem crê que Deus é amor e que Ele é Pai, Filho e Espírito Santo — esse tem que ver na família o arquétipo de tal verdade eterna, sem a qual os homens, feitos à imagem e semelhança de Deus, se tornam deuses dês-relacionados e perversos...
Quem diz que tem medo de Macumba deve saber que a maior Macumba da Terra é essa que é feita de Despachos de Filhos e de Pais...
É no desamor de tais “despachos” que o diabo cresce no mundo!...
Quanto menos amor nas famílias [...], mais diabo no mundo!
Quem tiver ouvidos para ouvir, ouça!

Nele, que disse “Eu e o Pai somos um”,
Caio

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...