Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

sábado, 9 de abril de 2011

Alguém, por favor, me explique... Poema dedicado às vítimas do massacre em Realengo

ALGUÉM POR FAVOR ME EXPLIQUE


Alguém, por favor, me explique
De onde provém tanto ódio?
E como lidar com a dor
gerada por este episódio?

Alguém, por favor, me explique
Como se pode apagar o sorriso
de uma criança inocente?
Ver seu sangue derramado no piso
Seu futuro acabar no presente

Alguém, por favor, me explique
Pois já sei quem puxou o gatilho
Mas desconheço quem armou a bomba
Não importa de quem ele é filho
Ou mesmo quem dele zomba

Alguém, por favor, me explique
De quem comprou aquelas armas?
Quem lhe proveu munição?
Onde aprendeu a usá-las?
Quem foi cúmplice de sua ação?

Alguém, por favor, me explique
Em que jaula vivia a fera?
quem sempre lhe dava ração?
Quanto tempo durou a espera
pra que tomasse tal decisão?

Alguém, por favor, me explique
De que fonte ele bebeu?
Quão maligna sua inspiração
Será que ninguém se atreveu
a questionar sua intenção?

Alguém, por amor, suplique
Por quem perdeu seus tesouros
pra que não perca a esperança
de que todos os dias vindouros
serão de paz, amor e bonança

Alô, alô, Realengo
Aquele abraço!
Amor, amor, Realengo
a cada passo

Autor: Hermes C. Fernandes em 08/04/2011, um dia depois do massacre que calou o Brasil

Extraído de   hermesfernandes.com

sexta-feira, 8 de abril de 2011

REALENGO CLAMA: POR QUÊ, SENHOR?

REALENGO CLAMA: PORQUÊ, SENHOR?

“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”(Mateus 5:13 a 16)
Dálton Curvello
ONTEM aconteceu a maior tragédia dos últimos anos no Brasil, conforme amplamente divulgado por toda a imprensa. A tragédia de Realengo, como já está sendo chamada, comoveu toda a nação, arrancando lágrimas até da presidente Dilma.


DURANTE o dia de ontem, muitas manifestações em blogs Cristãos confortavam e traziam um pouco da palavra de Deus sobre o ocorrido: O pastor Hermes Fernandes escreveu em seu blog:  “O que a Carta do Assassino de Realengo no Revela”. Comentando um trecho da carta deixado pelo maníaco suicida, o pastor Hermes nos exorta sobre os riscos do fundamentalismo religioso, um alerta a todos nós. Vale à pena conferir a mensagem.


O pastor Renato Vargens, publicou mensagens ao longo do dia: “A tragédia de Realengo”, “O massacre de Realengo” e outras, conclamando os irmãos a dobrar os joelhos e clamar por misericórdia a Deus: “Caro leitor, diante disto resta-nos rogar ao Senhor que tenha misericórdia da população do nosso Estado. Convoco portanto, a Igreja de Cristo a jejuar e orar rogando ao Todo-Poderoso que intervenha no Rio de Janeiro, trazendo sobre essa população sofrida bálsamo e alivio para sua dor e desespero. Isto posto, sugiro aos pastores, líderes e igrejas que separem um tempo em seus cultos para orar pelo Rio de Janeiro.”(Renato Vargens)


MAS uma cena que mais me impactou na cobertura do evento, foi o choro de uma avó, seu desespero pela perda da neta, que vinha sendo criada por ela e foi morta brutalmente. Ainda amparada por pessoas que a cercavam, essa avó gritava e chorava: “POR QUÊ SENHOR? POR QUÊ, SENHOR?”
FIQUEI parado alguns instantes meditando naquelas palavras, percebendo o tamanho da dor e solidarizando-me com aquelas pessoas enlutadas e que simplesmente não conseguiam entender a lógica de tal brutalidade.


PROVAVELMENTE vão surgir mensagens falando de fogo do céu, castigo Divino, ira de Deus por algum “pecado oculto” ou bizarrices do tipo; Talvez apareçam teólogos defendendo Deus, afirmando que nem Ele tem controle sobre o que acontece, comparando o criador a alguém que fez um brinquedinho, deu corda e não pode mais intervir.
PARTICULARMENTE, prefiro ficar com a Bíblia. Prefiro crer na soberana vontade de Deus, onipresente, onisciente e detentor de todo o PODER. Não creio que eu consiga entender, com a minha mente limitada e imperfeita, acontecimentos desse tipo. Pretendo mesmo perguntar para Deus quando estiver com ele no paraíso, mas creio que Ele compreende até nossa dificuldade em compreender.


No momento, faço côro com aquelas vozes, tendo ao nosso lado, inúmeros Salmistas, que igualmente se derramaram diante de Deus em momentos angustiantes como esses:

SALMO 10  ”Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? Os ímpios na sua arrogância perseguem furiosamente o pobre; sejam apanhados nas ciladas que maquinaram. Porque o ímpio gloria-se do desejo da sua alma; bendiz ao avarento, e renuncia ao SENHOR. Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus. Os seus caminhos atormentam sempre; os teus juízos estão longe da vista dele, em grande altura, e despreza aos seus inimigos. Diz em seu coração: Não serei abalado, porque nunca me verei na adversidade. A sua boca está cheia de imprecações, de enganos e de astúcia; debaixo da sua língua há malícia e maldade. Põe-se de emboscada nas aldeias; nos lugares ocultos mata o inocente; os seus olhos estão ocultamente fixos sobre o pobre. Arma ciladas no esconderijo, como o leão no seu covil; arma ciladas para roubar o pobre; rouba-o, prendendo-o na sua rede. Encolhe-se, abaixa-se, para que os pobres caiam em suas fortes garras. Diz em seu coração: Deus esqueceu-se, cobriu o seu rosto, e nunca isto verá. Levanta-te, SENHOR. O Deus, levanta a tua mão; não te esqueças dos humildes. Por que blasfema o ímpio de Deus? dizendo no seu coração: Tu não o esquadrinharás? Tu o viste, porque atentas para o trabalho e enfado, para o retribuir com tuas mãos; a ti o pobre se encomenda; tu és o auxílio do órfão. Quebra o braço do ímpio e malvado; busca a sua impiedade, até que nenhuma encontres. O SENHOR é Rei eterno; da sua terra perecerão os gentios. SENHOR, tu ouviste os desejos dos mansos; confortarás os seus corações; os teus ouvidos estarão abertos para eles; Para fazer justiça ao órfão e ao oprimido, a fim de que o homem da terra não prossiga mais em usar da violência.”    

quarta-feira, 6 de abril de 2011

JESUS VIVE!

JESUS VIVE !

“Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.”(2Coríntios 5:14 e 15)

Dálton Curvello
                Estamos a poucos dias da data que alguns chamam de “semana santa”, em que muitos dos cristãos relembram o sacrifício de Cristo. Tenho minhas restrições a comemorações do tipo, pois não vejo base bíblica para continuarmos comemorando um evento que o próprio Cristo ao participar, anunciou qual seria o símbolo desta nova aliança. (“Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.”Lucas 22:20) Ora se estamos na nova aliança, o que que eu vou fazer comemorando a velha? E ainda mais com toda a simbologia deturpada? O que acaba acontecendo é o que está representado no vídeo abaixo, do grupo ONE TIME BLIND. Vale à pena conferir!


terça-feira, 5 de abril de 2011

EXORTAÇÃO - ANALISE SUA LIDERANÇA

Exortação - Analise sua Liderança...
O texto abaixo foi extraído do PAVABLOG, um blog cristão. Leia até o final pois esse texto do pastor João A. de Sousa Filho é algo inspirado por Deus, e tem o intuito de alertar a igreja invisível sobre um grande mal que permeia diversas comunidades cristãs nos dias atuais. Eu mesmo fui testemunha recentemente de algo assim...

SETE CARACTERÍSTICAS DA NOVA LIDERANÇA NEOPENTECOSTAL

Ao longo dessas quase cinco décadas de ministério pastoral comecei a observar a tendência da igreja brasileira e os rumos que tomou. Depois que li uma pequena nota de Renato Vargens no blog http://www.pulpitocristao.com achei que poderia contribuir acrescentando 7 características da nova liderança pentecostal. Com o surgimento dos movimentos pentecostais novos, comumente chamados de neopentecostais, algumas características se tornam evidentes na liderança dessa parcela eclesiástica.

Contrariamente às recomendações de Pedro aos líderes da igreja de que o líder deve ser (1) testemunha (mártir) dos sofrimentos de Cristo; (2) de que não deve exercer o pastoreamento por constrangimento, isto é, obrigado a pastorear como se a igreja dependesse dele; (3) de que não deve andar de olho no dinheiro alheio (sórdida ganância) e (4) de que não deve ser dominador do povo, ou do rebanho porque este é de Deus, muitos dos atuais líderes da igreja, especialmente os que ostentam o título de apóstolos agem no sentido oposto. Procure ler o texto de 1 Pedro 5.1-4.

A seguir colhi sete características dessa liderança atual – que não é apenas da liderança neopentecostal, mas também de muitos líderes de igrejas pentecostais históricas.

1. Autoritarismo. Tais líderes advogam a si o direito de ter a palavra final em questões doutrinárias e de práticas cristãs. Creem que podem criar novos padrões de ensinamento e neles atrelar a congregação. Era assim também no passado quando pastores de denominações pentecostais decidiam o que o povo devia usar, o que pensar e em como viver. Felizmente algumas denominações amadureceram e abandonaram tais práticas que vêm sendo adotadas com grande ardor pelos novos líderes pentecostais. As pessoas são orientadas a viverem conforme o pensamento do líder e de maneira a agradá-lo. A “doutrina” ou ensinamento apostólico foi por eles aperfeiçoado, porque tirou do povo o direito à vida e de decidir o que fazer e de como viver.

2. Dominadores do rebanho. Hoje os apóstolos, bispos, presbíteros e pastores – não importa o título que ostentem – decidem se os membros devem celebrar o Natal, os alimentos que devem comer, as festas que podem participar, os DVDs que devem assistir e quais igrejas ou congregações podem visitar.

Tal autoritarismo não é próprio apenas de igrejas neopentecostais, mas também de alguns que se dizem “igreja” sem nome; comunidades cristãs, etc. que mantêm sob regras rígidas o comportamento e o estilo de vida de seus membros, ou discípulos. É possível ver este autoritarismo em várias denominações também. Nunca ouse pensar ou agir de maneira que contrarie seu líder! O líder é o novo paradigma ou modelo de fé a ser seguido, e não os modelos da Bíblia.

3. Ganância financeira e luxúria. A ostentação de riqueza, o ganho fácil e a confortável vida movida a aviões particular, helicópteros e festas não é própria apenas dos neopentecostais, mas também de outros segmentos da igreja – uma dessas igrejas, até bem tradicional, em que seu líder se locomove para a casa da montanha de helicóptero, enquanto exige que seus membros nem televisão possuam!

Enquanto milhares de obreiros residem em casas modestas no meio de sua comunidade, ao nível do povo que pastoreiam, vivendo na simplicidade, buscando o mínimo de conforto, outros se afastam do meio do rebanho e passam a viver em condomínios inacessíveis ao povo. Sua congregação não tem acesso a casa deles – diferentemente de quando nossa casa estava aberta aos irmãos. Essa é a nova cara da liderança eclesiástica da igreja brasileira.

4. Usam o púlpito como arma de ataque. Por trás do carisma que lhes é peculiar tais ministros fazem o que querem com o povo; se justificam, demonstram humildade e santidade e aproveitam para atacar sutilmente os que lhe desobedecem as ordens. Frases como “aconteceu tal coisa porque não ouviu o homem de Deus” é comum ouvir de seus lábios. É a justificação de uma aparente santidade. As pessoas precisam vê-los como homens de Deus, líderes espirituais íntegros; no púlpito diante de seu povo riem, choram, profetizam, pulam, gesticulam e pregam mensagens de prosperidade. Assim, conseguem encobrir do rebanho suas verdadeiras intenções, para que este não se interesse em saber como é a vida deles no dia a dia de sua vida particular.

E grande parte dos crentes defende o estilo de vida de seus líderes, e se dobra perante eles como faziam os escravos diante de seus senhores.

5. A sacerdotização do ministério. Alguns desses novos líderes criaram a nova casta de “levitas” que são os que cuidam do louvor da igreja, mas criaram também a “família sacerdotal” que é composta do líder e de seus familiares, num atentado grotesco ao verdadeiro sacerdócio de Jesus Cristo. Muitos, ainda que reneguem publicamente tal conceito, ostentam-no no ensino aos seus líderes, isto é, estes são orientados a considerá-los sacerdotes de Cristo a serviço do povo. “Nós somos sacerdotes” de Deus para cuidar do rebanho, dizem, quando biblicamente toda a igreja é povo sacerdotal!

6. O reino deles é deste mundo. A nova liderança dos neopentecostais tem outro foco que não é o reino de Deus futuro, mas o reino deles, agora. Eles têm prazer nas coisas do mundo. Seu império particular e o império de sua denominação ou de suas comunidades constituem o reino deles na terra. Enquanto todos os demais trabalham para a vinda do reino, esses novos líderes creem que estão no reino, e que já são príncipes de Cristo aqui na terra. E para viver como príncipes, formam seu séquito de seguidores que os servem humildemente. Enquanto Jesus apontava para a chegada iminente do reino de Deus, a nova liderança da igreja crê que vive o reino, aqui e agora!

Por isso intrometem-se na política, pensando que por ela governarão na terra e trarão o governo de Cristo aos homens. E, da mesma forma que entram na política e buscam para si títulos políticos, se prostituem com o sistema e podem ser vistos agradecendo a Deus pelas graças recebidas, como no caso dos deputados evangélicos neopentecostais do Distrito Federal. Estes são a pontinha do iceberg, porque existem milhares de pastores vendidos ao mundo e que recebem polpudas somas de dinheiro para transformar sua congregação em curral eleitoral.

7. Acreditam que o juízo dos crentes não é para eles; porque estão acima dos demais. Por isso, perderam o temor de Deus e nem imaginam o que lhes espera no dia do juízo de Cristo, quando todos haveremos de prestar contas. Quando se perde o temor de Deus leva-se uma vida desenfreada de pecado, escondida sob o manto da espiritualidade e da vida piedosa.

Criticam a Balaão mas vivem como ele, profetizando em nome de Deus, mas de olho nos bens de Balaque – porque são insaciáveis financeiramente. São estes os novos líderes que à semelhança de Coré, Datã e Abirão defendem seu sacerdócio e proclamam que também “têm direitos espirituais”, como nos dias de Moisés. À semelhança de Caim pecam voluntaria e conscientemente, esquecendo que já receberam na testa o sinal de Deus que os manterá sob juízo e condenação.

À luz dessas sete características é possível identificar o tipo de igreja que se frequenta, o tipo de líder que se obedece e decidir se deve seguir o caminho do discipulado cristão ou se fará parte do novo reino dos deuses da terra.

João A. de Souza Filho, pastor e escritor.
Fonte: PAVABLOG

domingo, 3 de abril de 2011

VENDE-SE! QUER PAGAR QUANTO?

VENDE-SE! QUER PAGAR QUANTO?

André Sanches
Olhe ao seu redor. Por todo lado vemos placas propondo a venda de produtos e serviços. Numa sociedade capitalista, que precisa fazer girar a economia para gerar renda para as pessoas, isso é até certo ponto normal. Mas será que na sociedade existem apenas placas propondo a venda de produtos e serviços?


Olhe novamente ao redor. Mas desta vez olhe mais acuradamente. Por todo lado vemos placas de pessoas “vendendo” a si mesmas. O ser humano tem colocado a venda os seus valores, a sua moral, a sua fé, a sua família, os seus desejos, os seus sonhos...

Meninos e meninas vendem sua virgindade, sua pureza em troca da aceitação da sociedade, de agradar o grupo, ou mesmo em troca do prazer momentâneo. Maridos vendem a sua fidelidade em troca de aventuras extraconjugais, de prazer. Homens e mulheres vendem a pureza do seu coração e dos seus olhos por um sonho pornográfico que permitem povoar suas mentes. Mulheres vendem seus corpos nas ruas em troca de um assovio, um elogio ou uma virada de olhos dos homens.

Profissionais dentro das empresas vendem a sua ética em troca de maiores cargos, de maiores salários, de um pouco mais de poder e de dinheiro. Patrões vendem a sua honestidade em troca de um faturamento maior através da corrupção. Funcionários vendem a verdade e a honestidade colocando o cachorro como dependente do Imposto de Renda em troca de mais dinheiro na conta corrente.

Pessoas vendem a verdade em troca de uma solução rápida para um problema, de uma “dura” a menos do chefe, ou em troca de ficarem bem com todos. Vendem o que é correto em troca do “jeitinho brasileiro” que soluciona todas as demandas.

Integrantes da mesma família vendem a paz, o amor e a união em troca de benefícios egoístas e vantajosos para si, mesmo que os outros sejam prejudicados. Famílias vendem seu tempo para ficar juntos por alguns trocados a mais no final do mês. Pais vendem a sua responsabilidade de educar os filhos e a terceirizam a outros. Filhos vendem a honra que deveriam dar aos pais em troca da liberdade oferecida pelo mundo. 

Vendas, vendas e mais vendas são feitas todos os dias...

Apesar de não vermos escancaradamente, as pessoas estão cheias de placas de “vende-se” em si mesmas. Você, por acaso, teria também uma placa desse tipo presa em você? Que tipo de “venda” de si mesmo você tem feito?

Não convém nos vendermos por tão pouco! Torne os seus valores, a sua fé, a sua família, a verdade, a dignidade, a pureza, o amor, inegociáveis. Lute e defenda-os. Arranque a placa de “vende-se” do seu peito! 

No passado o povo de Israel também colocou placas de “vende-se” em si mesmos, negociando os seus valores, “lucrando” com o que desagradava a Deus e fazendo o que é mal. Deus não se agradou deles!

“...e venderam-se para fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocarem à ira. Pelo que o SENHOR muito se indignou contra Israel” (2Rs 17. 17-18)

Eu não estou à venda, e você?




Autor: André Sanches
Extraído do blog “ESBOÇANDO IDÉIAS”

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...