Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

terça-feira, 20 de julho de 2010

Pare e pense

No Pare e pense de Hoje, quero reproduzir um capítulo de meu livro "Calebe-o demolidor de gigantes", oferecendo ao meu irmão que aniversaria hoje, ele mesmo um "Demolidor de gigantes", que sabe o verdadeiro conceito de vencedor e não se sujeita aos padrões desta sociedade consumista, mantendo firme suas idéias e conceitos.
Parabéns, NANO!!!

TER OU SER?



“Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus. Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus.”(Gálatas 6:15 a 17)


Calebe  ainda não  tinha a posse da terra prometida, mas sabia que ele já era seu legítimo proprietário, e nessa certeza de que a promessa se cumpriria, viveu feliz por mais de quarenta anos, em pleno deserto, perseverando em confiar no Senhor (Números 14:24). Passou oitenta e cinco anos sendo, sem ter. A Bíblia não registra quantos anos viveu Calebe, mas pelo que sabemos, é certo que mais da metade de sua vida foi vivida entre a escravidão (38 anos) e o deserto (40 anos).
                Preste atenção. Deus está nos falando algo através da vida desse herói holywoodiano, chamado Calebe. A vida que você recebeu de Deus é para ser vivida em abundância (João 10:10). Mas, se você anda ansioso, desejando apenas que o deserto acabe logo, cuidado. Você pode estar deixando passar a bênção que Deus tem para você no deserto, e pode acabar percebendo, no final, que o que realmente conta não é o ponto de chegada, mas sim a jornada. Há alguns anos assisti a um filme ("Click", de 1996, estrelado por Adam Sandler e dirigido por Frank Coraci),  onde o protagonista sofria com a de ver realizados seus sonhos e projetos, até que aparece um sujeito que lhe oferece um misterioso controle remoto, por meio do qual ele conseguia controlar os eventos de sua vida. Foi uma festa! Se surgia uma discussão com a esposa, ele apertava um botão, e pulava essa parte desagradável. Se ele tinha a promessa de uma promoção, apertava o botão do controle e pronto, lá estava ele, já promovido. O triste dessa história toda foi que, ao final, ele percebeu que deixou passar momentos importantes da sua vida, e já estava morrendo. O sujeito que lhe havia oferecido o tal controle (creio que no filme representava o Diabo) aparece e fala para ele que no final do arco-íris não tem pote de ouro, tem apenas um pacote de bolachas (“Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.” Eclesiastes 1:2). A noticia boa é que ele acorda e percebe que tudo foi um sonho, mas um sonho que o faz mudar radicalmente suas atitudes.
                Assim como esse personagem, existem muitas pessoas que se esquecem de ser felizes, esperando que serão felizes no futuro, “se...”.“- Serei feliz se conseguir uma bicicleta”. Depois da bicicleta: “Serei feliz se conseguir um carro...” E assim a vida vai passando sem que a pessoa perceba que deixou de viver muitos momentos de sua vida, por esperar algo que ao final, ela já nem vai se lembrar mais o que era. Calebe tinha todos os motivos para levar a vida assim, e  entretanto, o fato de ele ter a certeza que chegaria lá, deu-lhe forças para vencer os desafios do deserto, mantendo-se firme em Deus. Não importava para ele ter alguma coisa, mas sim ser o que Deus havia projetado para ele, mesmo que para isto tivesse que passar mais da metade da sua vida entre a escravidão e o deserto (como de fato aconteceu). Você está preparado para isto? Eu me lembro de um dia ainda na década de oitenta, quando um certo pregador falou algo na TV que me chamou a atenção, tanto que até hoje lembro de suas palavras. Ele se dirigia às pessoas que haviam ido à frente após o apelo, feito depois de uma maravilhosa pregação. Havia centenas de pessoas aglomeradas junto ao púlpito, que naquele momento aceitavam a Jesus como seu Salvador. Ele então falou para eles: “Daqui a milhares de anos vocês vão se lembrar desse momento, da importância que ele teve em sua vida por toda a eternidade.” Isto é o que realmente conta. Não importa o tamanho do deserto ou vale que você tem pela frente.
                  Na geração de Calebe havia milhares de contemporâneos dele, que por desejarem ter mais do que ser, acabaram morrendo no deserto. Foram pessoas que queriam muito ter a posse da terra prometida, mas não se sentiam sendo os donos daquela terra, mas sim gafanhotos (Números 13:33). O que você tem valorizado em sua vida? Nos últimos meses, pude perceber claramente como se comporta a maioria das pessoas. Convivi com pessoas que valorizavam muito o senhor-gerente-de-banco que pode ser útil em algum momento, mas que prontamente se afastaram do senhor-aposentado-doente-e-em-crise. Pessoas que amam os primeiros lugares nas ceias...(Mateus 23:6), os quais Jesus chamou, entre outros nomes, de hipócritas, insensatos e cegos, comparados a sepulcros caiados(Mateus 23). O que você tem valorizado em sua vida? Tem valorizado o que realmente importa?
            Deixe-me concluir este livro deixando para você uma palavra de conforto: Deus quer que estejamos centrados em sua vontade, tendo a certeza de que não importa nada na caminhada, o nosso destino final ele já tem definido. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;” (João 1:12). Essa verdade imutável, o inimigo não pode tocar. Tenha a certeza de que, em sua jornada, o diabo pode comprometer sua saúde, ele pode armar ciladas e te jogar numa tremenda crise financeira, ele pode até tentar, mas não consegue nos separar do amor de Deus, em Cristo Jesus! ”Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8:37 a 39). Existe um cântico, muito entoado em nossas igrejas nos dias de hoje, e que espelha algo que tem sido uma verdade em minha vida, e meu desejo sincero é que seja também na sua. Minha oração a Deus neste momento é que você tenha sido abençoado através da leitura deste livro, e que o Espírito Santo de Deus esteja ministrando em seu coração neste momento. O cântico é este que reproduzo abaixo, finalizando essa modesta história de um Demolidor de Gigantes. Que possamos nós também hoje, ser Demolidores de Gigantes, e não gafanhotos!

“Tua luz rompeu minha noite trazendo a alegria,
Tua graça desceu como a chuva e trouxe vida ao meu deserto,
Tens transformado,meu pranto em festa!
Tens transformado,minha tristeza em alegria!
Tua mão tem me erguido, a um alto lugar;
Teu louvor no meu coração me fez no vale a Ti cantar.
É assim que nós vencemos (É assim que nós vencemos).
Somos mais que vencedores, (Somos mais que vencedores).”

AMÉM !



Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua participação é importante. Obrigado!

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...