Para ler NO Deserto

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia; porque tu ouviste, naquele dia, que estavam ali os anaquins, bem como cidades grandes e fortificadas. Porventura o Senhor será comigo para os expulsar, como ele disse.”(Josué 14:12)

VISITANTE NUMERO


Visualizar estatísticas do Blog

PÁGINAS DO BLOG

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Pare e pense

PAZ, UM PRIVILÉGIO !
Pastor Paulo Júnior

Se entendo quem Deus é, e Deus é amor, toda a minha ação é um esforço de manifestar esse amor para as outras pessoas e assim, a paz é gerada. 
Em Cristo Jesus nós não apenas conhecemos o que Deus pode ou o que Ele quer, mas principalmente conhecemos quem Deus é porque conhecemos o seu amor. Na medida em que conhecemos a Cristo, conhecemos a Deus, conhecemos o que somos em Cristo e o que Cristo é em nós.
Precisamos compreender que a benção já foi recebida, Deus já nos deu todas as coisas em Cristo Jesus. No entanto, todo esforço do diabo é para distorcer isso em nossa mente. Suas intenções não almejam que o crente mude de comportamento, simplesmente. O interesse do diabo é mudar as motivações dos cristãos. Desde Adão e Eva, tudo o que o diabo gerou em nosso coração foi com a intenção de deixarmos de agir manifestando a benção já recebida passando a agir para recebermos uma benção não alcançada.
Interessante que o pecado separou o homem de Deus, no entanto, não separou  Deus do homem. A motivação de Deus nunca mudou em relação as nossas atitudes porque Deus é amor. A motivação dele não é modificada pelo nosso comportamento. A nossa motivação sim, muitas vezes se altera.
Mas precisamos entender que o que determina a qualidade da vida com Deus não são as nossas ações, como por exemplo a adoração por si só,  mais sim, os motivos das nossas ações (em espírito e em verdade).
Muitas pessoas, por exemplo, mudam de comportamento mas não mudam de atitude. Suas razões e anseios, referências e  prioridades não mudam. Pessoas que têm expectativas e interesses em Jesus porque esperam que Ele faça por elas tudo o que elas pensam que Ele deve fazer. Pessoas que correm atrás de uma benção que na verdade já foi dada.
São pessoas de coração carregado de expectativas. Elas sabem tudo o que Jesus pode fazer por elas mas não sabem quem Ele é o que já fez. Nesse sentido é possível que alguém faça a coisa certa sem necessariamente estar fazendo a coisa boa. A motivação não é boa. São pessoas que conhecem seu próprio desejo,mas não o coração de Cristo.
E o que tem  a paz haver com tudo isso?
Paz não é uma questão de comportamento, mas de atitude. Eu anuncio a paz, e é a paz que julga minhas motivações. A palavra de Deus diz que a paz seria o juiz das nossas ações. Se minha atitude é amor minha ação é paz. Se minha atitude é defesa, minha ação é guerra.
Se entendo quem Deus é, e Deus é amor, toda a minha ação é um esforço de manifestar esse amor para as outras pessoas e aí a paz é gerada.
Então, talvez a paz não seja algo relacionado nem à preocupação nem à dever. Paz é uma questão de privilégio. Não é  paz que achamos que devemos ter ou que gostaríamos de ter mas a paz que podemos viver em Jesus. A paz é um privilégio para todos aqueles que já conhecem quem Cristo é e quem eles são em Cristo.  Afinal o Reino de Deus é anunciado  como sendo de paz, alegria e justiça. A paz já é uma benção dada por Deus quando recebemos o sEu Reino.
Por isso Jesus disse: " eu vos deixo a minha paz, não a paz que o mundo dá, mas a minha paz. Não se turbe o vosso coração nem se atemorize"
Jesus deixa sua paz como legado e diz que não precisaríamos ter medo. A palavra de Deus diz que no amor não existe medo porque é o medo que produz os tormentos. É no medo de sofrer o dano que fazemos a guerra.
A palavra também caracteriza o amor de Deus, como aquele que amou primeiro. A expressão maior do que Deus é, é amar primeiro.
Jesus também condiciona a paz à presença do consolador, o Espírito Santo. Consolador porque Jesus sabe que sofreríamos perdas que poderiam produzir em nós temores e medos. Na verdade, o medo que temos não é o medo da guerra, mas o medo da perda, medo de sofrer o dano, da ausência, do prejuízo. Então o homem se antecipa aos prejuízos defendo-se dos possíveis danos. 
Pense bem, as pessoas não tem medo de amar algo que seja garantido. As pessoas tem medo de amar primeiro. Amar na possibilidade de sofre o dano. Assim, a guerra é feita contra todos os que podem representar um prejuízo pessoal.
O segredo é entendermos que não vamos ter a benção. Nós já a temos. Nós não vamos ter a paz, nós já a recebemos em Cristo Jesus.  Agora podemos manifestar à todos as bênçãos já recebidas, em paz.
Esse é o privilégio de evangelizar a paz!  Quem nunca a viu a verá através de nós. Uma motivação santa é ter paz com todos os homens de tal maneira que nada é mais importante do que revelar O amor de Cristo. Um coração limpo de amargura, de defesas, de prioridades individuais. Um coração em paz para amar primeiro.
Dessa forma a glória de Deus nas maiores alturas é transformada em paz na Terra para todos aqueles à quem Deus ama.
Pastor Paulo Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua participação é importante. Obrigado!

Inscreva seu e-mail e fique por dentro das atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...